quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Homem-casa ou sobre ele que insistimos em ser coadjuvantes

Estar na sua casa e você não estar aqui é muito estranho
O tipo de vazio que se sente tem um gostinho de saudade misturado com algo doce
É quando me dou conta que não consigo encontrar teu cheiro mesmo que eu entre no teu quarto.

Sonho com você e o coração aperta
E no entanto é impossível me sentir mal,
porque mesmo que meu peito fique pequeno de sentir-falta
Não consigo me angustiar porque esse tu-longe é teu navegar
E tu fica bonito quando experimenta coisas
E mesmo quando não estou envolvida
Fico feliz de te ver sorrir
Mesmo que não possa ver de fato.

Entrei no teu quarto pra sentir seu cheiro mas pouco dele ficou.
Espero que não se importe pela invasão.
Se bem que não me importei quando você me sorriu porque me reconheceu
E me invadiu com esses olhos mansos
Mansidão lânguida que me leva a acreditar
Que tenho casa nessa coisa bonita que é o teu abraço.

0 comentários:

Postar um comentário