terça-feira, 26 de julho de 2016

mais uma metáfora sobre fios

essa obrigação que temos de amar nossas vidas ainda vai nos matar.
os fios prateados do se-reconhecer
olho para eles e vejo quantos corações estão ligados ao meu peito
um fio brilhante que me escapa por entre os seios
ele se ramifica e vocês se conectam a ele como podem

alguns se enrolam nele até não poder mais
meu coração vira novelo e casulo
assume tons rosas e quentes
ultimamente tem sido difícil, no entanto, manter esses fios.

outros tentam amarrá-lo no coração mas tem medo
e logo fazem com ele um lacinho no dedo
pra mostrar que estão ali, mas nem tanto.
você faz nevar e o fio quase se parte.
e eu, hoje, sinceramente não poderia me importar menos.
cansei de segurar esse fio, é você quem amarra ele quando quer.

tem dias que eu acordo, e a luz do sol bate em cheio nos meus olhos
o castanho fica quente e parece que vai derreter
mas estou tão cheia de manter essas ligações que o que queria mesmo
era arrancar essa lã do peito, e com ela dar um jeito
de tecer minha mortalha.

1 comentários:

PAULO COELHO - FLORIANÓPOLIS -SC disse...

Legal Ana,gostei do teu Blog. Eu acho legal ter um lugar para escrever algo fora de da grande platéia do Face.

Postar um comentário