domingo, 28 de junho de 2015

No tempo errado

A Primeira Árvore secou rápido
Chamei-a Decepção
A Segunda Árvore queimou ainda mais rápido
Mostrando que tudo se destrói.
Dentro de mim eu já tinha a certeza
de que nada se mantém de pé.

Árvores secas, queimando no caminho.
Estou sempre no tempo errado.

Nunca deixei ninguém chegar perto
E me fiz pedra porque não suporto os olhares sobre mim
Mas nem tudo é dureza e eu sou fluida
Passo sob as raízes
Mas elas não me absorvem
Pesado demais, as Flores não gostam.

Flores são frágeis, porque assim é a beleza.
Estou sempre no tempo errado.

Quando resolvi parar de andar
No meio do caminho me sentei e olhei para cima
Reencontrei algo perdido Vidas Atrás
Retido em minhas mãos por alguns instantes
Era pesado demais para carregar.
Enterrei debaixo de minhas árvores e fui embora chorando.

Não sei quantas Vidas serão necessárias.
Eu estou sempre no tempo errado.

O Vento açoita a pele quando é gelado.
Quando estou morta é Ele quem me revive.
Eu morro todo dia antes de levantar.
A dor é mais forte e eu sou puxada para baixo.
O Vento me acorda, me chama pra fora.
Mas eu quero me enterrar sob as árvores.

É difícil fugir das imagens na minha cabeça.
Eu estou sempre no tempo errado.

Encontrei-me comigo mesma na minha versão oposta
Quis me enamorar de mim mesma, mas eu era tão livre!
Chorei ao ver Eu Mesma partir, minha sombra
Em forma de figura masculina eu dei outros passos
Na direção de outras vidas
Foi difícil assistir meu outro eu ir embora.

Tão jovem, que eu não podia interferir.
Eu estou sempre no tempo errado.

Na esperança de me ver voltar, encontrei outra mulher
Que me ofereceu seus seios como alento.
Entre suas pernas me descobri mais amada.
O carinho não pode ser sempre expresso.
Cortei os laços, porque não podia amá-la,
chorando ao vê-la partir, sem poder dizer que estava triste.

Ela nunca soube o quanto a amei.
Eu estou sempre no tempo errado.

Quando não pude ter a moça
Me prometi não abandonar ninguém por medo
O Amor me assustava então levantei e mudei de direção.
O Vento açoitava meus cabelos e rachava a pele de meu rosto.
Deixei Olhos profundos olharem dentro dos meus.
Minha alma aquecida e livre pela primeira vez.

Mas não demoraria para o quebrar dos espelhos.
Eu estou sempre no tempo errado.

Eis que o Tempo tão sórdido jogou suas lanças todas sobre mim
Porque no momento em que minha alma se aqueceu
Águas terríveis caíram do céu.
Desenterraram e trouxeram todos os Sonhos enterrados.
Quando os Olhos partiram de minha vista.
Não pude mais decifrá-los.

Como um último trunfo do Tempo, não pude mais confiar no meu coração.
Eu estou irremediavelmente no tempo errado.

quinta-feira, 25 de junho de 2015

Constatações rápidas

Eu estou sempre no tempo errado.

domingo, 14 de junho de 2015

Das coisas que faço quando não estás comigo

Chega enfim a hora da noite
Em que começo a sentir você
Despretensioso no meu caminho
Me encontrou no meio do labirinto
Me tomou arrastando meu olhar
Meu maior medo a essa hora é não te alcançar

Minha respiração fica entrecortada.
Eu mal ouço ou vejo o mundo a minha volta.
As palavras correm, minhas roupas caem.
Minha voz fica solta
Mas minhas mãos querem prender
Reter
Entre meus dedos
Calor
Fim dos meus medos.

Me contorço sozinha na cama
Bailarina de minha própria música
Prisioneira de minhas cobertas
Como se você estivesse assistindo
Seguro, relutante, meus gritos
Quase posso sentir
Ouvir tua voz me chamar
Chega enfim a hora do dia
Em que conto os segundos
Sedenta por qualquer vislumbre.

Reconstruir

Fico refazendo teus traços na minha cabeça
Reconstruindo tua voz
Percorrendo tua pele
Memorizando
Revivendo
Nada parece me incomodar quando você está por perto.

Ouço tuas músicas.
Choro enterrando antigos pedaços mortos de um amor estranho.
Confundo-me.
Eu me perco em mim mesma e não consigo entender
De onde vêm minhas tristezas
Não sei para onde as palavras estão me levando.

Queria te perguntar algumas coisas
Mas ainda é muito cedo.
Tua voz me diz mil coisas
Eu te reconstruo pra me manter de pé.

A Falta (ou A Cama)

Falta eu na sua cama.
Falta sua voz no meu ouvido.
Falta tua pele nas minhas mãos,
Na minha língua.
Teus olhos reparando nos meus cabelos,
Teus dedos neles entrelaçados.

Teus olhos me perseguem onde quer que eu vá
(Eu já falei sobre isso e no entanto preciso falar de novo)
Me atravessam e decifram
E mesmo assim não me sinto acuada
Só quero você me invadindo
E me pedindo calma
Quando eu me desespero
Porque você consegue chegar onde nunca quis que ninguém chegasse.

Queria estar em sua cama
Falta eu na sua cama.
Falta você dentro de mim.