quarta-feira, 27 de maio de 2015

Arrebatar

Olhos que parecem sempre carregar um sofrimento muito antigo
Como se estivessem cansados do que testemunharam, por eras a fio, sem descansar
Pousam sobre eles sobrancelhas arqueadas para baixo
Como se pedisse algo - como se fosse urgente.

São olhos claros que dizem tanta coisa!
Que sussurram e me perguntam por significados profundos
Que não conheço ou que não consigo formular.
Me rondam em sonhos, no fim do dia,
me questionando, fazendo parar.

Creio estar apaixonada por esses olhos
Que me olham e me transpassam
Decifram quando menos quero e espero ser compreendida
Mesmo quando formo tempestades ao redor
E para os outros permaneço desconhecida.

Você e seus olhos me atravessam.
E eu já começo a parar de relutar.
Estou cansada de lutar contra mim mesma.

E não há força que tire seus olhos da minha cabeça.

0 comentários:

Postar um comentário