domingo, 15 de março de 2015

cubos de gelo

acho que sou mesmo fria
a despeito de todos os sentimentos e rancores que sou capaz de sentir
é fácil ignorar
deixar pra lá
não me importar.

escrever não alivia a dor
mas pelo menos a organiza.
talvez eu tenha transtorno obsessivo compulsivo em relação ao que me cabe de interno.

(eu não gostaria de ter que revelá-los assim,
mas às vezes ajuda saber que alguém lê, e entende e se vê.
enfim.)

tem dias que os fios ficam tensos
tão tesos que não produzem som.
tem semanas que meus músculos se enrijeceram e não mais voltam a relaxar.
tantos fardos inúteis a se carregar, mas essa é a vida, eles dizem.
creio que seja minha eterna sina.

me envolvo nos véus de sempre
há coisas que não se misturam, ainda que no mesmo ambiente.
há pessoas que não devem ser tocadas
e coisas que não devem ser escritas.

domingo, 1 de março de 2015

Bom dia para Março

Março tem um cheiro bom. É a melhor parte do verão. Tudo fica mais alaranjado, se preparando para as luzes amarelas do outono. Março tem um cheiro bom e me faz pensar em frutas.
Março me deixa melancólica, e geralmente chove no meu aniversário. Mas é o mês das escapulidas para a praia, porque ela já não está lotada - e eu tenho essa pouca predileção por espaços muito cheios de gente.
Acordei dando bom dia para o mês que me deixa mais velha.