quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Parte de mim

agarro um fino fio de lã vinho
perceba como em meus poemas sou costureira
em como em coma fico quando você me amarra na cama
não literalmente, claro

amarro nos galhinhos de macieira
faço roupinhas de pano vermelho
acendo a vela
eu deixei que acontecesse comigo

cartas e mais cartas
de letras tortas e tarot
goles de cerveja barata e vinho pior ainda
era bom, mesmo ruim. e era muito
quatro garrafas esvaindo no sangue de brincadeira
e ainda cabia mais
nem sei se você ainda as tem guardadas
mas eu lembro daquelas noites, e uma delas, acho que a do recorde
é a daquelas fotos em preto e branco

eu colori bailarinas pra você
e até arrisco uma dancinha ou outra, dois anos depois
estou progredindo
mas tenha paciência, sou complexada com meus movimentos
quem sabe no próximo aniversário a gente não dança junto?

eu te amo, achei que precisava dizer isso de novo
da forma mais simples possível
em jorros de palavras sem pontuação
eu vejo isso vindo de dentro de mim e eu sinto que essa é sempre a melhor época do ano.
por mais louco que seja
a loucura sempre fez parte de nós.
você sempre fez parte de mim.

0 comentários:

Postar um comentário