domingo, 13 de maio de 2012

Pretensão em se chamar de louco

Então minhas palavras se atropelam.
Como se furassem filas.
Eu escrevo assim, desse jeito, quando te amo demais.
Não há pássaros piando.

Sinto minha mente como um manicômio.
Em algum lugar aqui dentro, tem alguém no eletrochoque.
Se essa pessoa ainda liga, eu não sei.
Creio que sim, porque se rebela.
Noutro canto, alguém sofreu lobotomia.

Um dia chegou outro louco.
Vindo de fora, um completamente problemático
(veja seus pulsos atados! e seus tornozelos!, pensei: acho que ele é pior que eu.
resta saber quem sou.)

Ai ai, às vezes é bom ter essa cabeça de atropelo
Embora às vezes a gente chore muito,
pelo menos aprendemos a dar vazão.
Se vai fazer sentido não importa, é assim que se vive a loucura...

0 comentários:

Postar um comentário