sábado, 4 de fevereiro de 2012

Manifestos de menina #10

Quebrei um copo na parede
na escuridão, a explosão do vidro virou luz.
Joguei uma tesoura em você
acertou seu coração
lugar onde não estou mais.
Nunca estive, pelo visto
e de onde você me expulsou injustamente.
Nunca, nunca compreendida
a menina chora lágrimas coloridas
A poesia que antes encantava
agora traz raiva e envenena
de verdade, não com tua força de expressão que te inebria.
Vinganças tolas em cima de pessoas burras.
Pobre da tola que pensou que poderia ser amada.
Não existe loucura em ti.
Só uma inconsequência amortecida pelos anos
substâncias que te inebriam e que te fazem ousar
No dia que a dor te partir no meio como me partiu tantas vezes
de novo, e de novo, e de novo
a dor de ser inocente, e de ver isso se perder.
Essa dor é a pior de todas. E você não a conhece.

0 comentários:

Postar um comentário