quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Ainda não me encontrei

Você me jogou no chão
caí nele como fosse um mar de fluorecentes cores
que me tragavam em si mesmas
e me puxavam pro fundo de um estranho prateado
de um mar louco e obscuro.

Parecia que eu tinha mergulhado em seus olhos
Que continham em si estrelas como grãos
com os quais alimentei pássaros imaginários
que sobrevoaram e *rasavam, rasgavam o ar à nossa volta.

Quando eu me encontrar, quero que esteja perto de você.



*rasar é o verbo cujo sentido alterei para "dar um vôo rasante."

1 comentários:

Teresinha disse...

"Parecia que eu tinha mergulhado em seus lhos"
Meu verso preferido.Estás cada dia melhor filha do Érico.Lindo demais.Duas artes juntas ,cores e letras.

Postar um comentário