sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Triana, a mulher que assombrou um fantasma

- Diga o que está querendo - falei. - Você disse que queria me enlouquecer. Por que razão?
- Bem, você sabe - respondeu rapidamente, embora suas palavras fossem lentas -, estou confuso. - Falava com as sobrancelhas erguidas e um ar de fraqueza; era um jeito indeciso, mas calmo. - Já não sei mais o que quero! Enlouquecer você? - Abanou os ombros. - Agora que sei como você é, como você é forte, já não encontro as palavras certas. Talvez haja alguma coisa melhor a fazer aqui do que meramente fazê-la perder a cabeça, presumindo, é claro, que eu pudesse mesmo fazer isso. Sei que se sente superior a esse respeito, pois já segurou a mão de muita gente no leito de morte e viu Lev, seu antigo, seu jovem marido, viajar com as drogas acompanhado dos amigos dele quando você meramente bebia goles do vinho. Tinha medo das drogas, tinha medo das visões! Visões como eu! Você me assombra.

Trecho de "Violino", Anne Rice. (página 71)

0 comentários:

Postar um comentário