terça-feira, 1 de novembro de 2011

Manifestos de Menina #9

The more you get, the more you need.

Pra ler o poema abaixo, sugiro que antes leiam esta letra: Ampersand - Amanda Palmer (com tradução)
e de preferência, ouçam: Ampersand - "Who Killed Amanda Palmer" Video Series: Part 3
Pra compreender a alma do texto (:





Eu sou de estrelas
e eu me coloquei num potinho de confeitos
Coloridas estrelas de pôr em cima do bolo de aniversário
doces e enjoativas
daquelas que não gosto de comer.

E eu estou ouvindo a mesma música vinte vezes,
mesmo que ela não diga exatamente como me sinto,
porque a alma dela é tão parecida com a minha
e eu realmente digo meu nome por aí.

E naquele dia quando eu fui embora e entrei no ônibus
tinha uns caras lá dentro mexendo comigo
e eu estava tão em outro mundo
que eu nem liguei pra qualquer contato físico.
Eu não sei se sou daqui.
E eu disse qual era meu nome.

E quando eu olhei pro céu a lua estava sorrindo.
Eu quis tanto chorar, e eu me senti como se precisasse de perdão.
É triste não saber o que fazer
mas agora estou mais calma, se quer mesmo saber
e eu começo a me repetir, meus temas são sempre os mesmos
me admira que alguém ainda queira ouvir o que tenho a dizer.
Mas agradeço, sempre, e sempre que posso sorrio
ainda que não seja minha maior vontade na maior parte do tempo.
Em alguns mundos eu posso sorrir mais verdadeiramente que noutros.

"Deitada na minha cama
Eu lembro o que você disse"
e eu sei que isso tudo não é uma farsa, sei que é real.
Meus problemas são reais dessa vez,
minha loucura parece estar se tornando também.
Eu andei desleixada. E desacreditada.
E eu fiz o que devia ser feito, me desculpe, eu fiz.
E eu preciso olhar pro céu e lembrar que hoje é primavera.
E que as flores ali fora cantam hoje.

Tem um pé de jasmim no jardim do vizinho.


(Por que eu ainda uso estrofes?)

0 comentários:

Postar um comentário