terça-feira, 4 de outubro de 2011

Lua sorridente

Você me cobrou outra poesia
pois cá estou eu enlouquecida
escrevendo sobre você
de sapatilhas vermelhas e bolsa idem.

Quantas vezes mais sairão de mim
poesias que te digam
que te amo e que sempre vou voltar?

Quantos poetas mais
vão cantar em seus escritos
o que parece só haver entre eu e você?

E se o céu sem estrelas
se nubla e não mostra a lua
eu trago do fundo da minha cabeça o teu sorriso pra lembrar
do dia que você mandou eu olhar pra lá
e quando eu vi era a lua crescente ali pra nós

Eu voltei meu rosto pro teu
e era você que me sorria
imitando a lua.

0 comentários:

Postar um comentário