domingo, 25 de setembro de 2011

Lágrimas de Madrugada

20/08/2011
Os braços
onde se escondem
os olhos vermelhos e cerrados
Teus cachos
teus cílios como que cerrados
será que um dia eu
verei-os molhados, Eron?
Você não deveria ter me deixado
Eu estou exausta
As cobertas me envolvem
nenhum abraço
estou só.
Sem poeta.
Sem musa.
Sem você, meu inferno lindo.
Eron, heróico.
Você que se fecha na sua fumaça
eu não consigo ler nada
e um dia eu pensei que éramos nossos
Não sei mais quantas vezes eu vou ficar vazia
vazia de lágrimas
fingindo
rasgando meu rosto com sorrisos
forjados
só pra dizer que estou bem.
Eu queria que você pudesse me salvar.
Eron, heróico.


(Poema escrito no dia 20 de agosto desse ano, de madrugada, na casa da amiga Marcella Meine. Quando eu não sabia que estaria com você de novo. A parte que não está em itálico foi modificada hoje, mas, a não ser pelo amor - que é o mesmo -, o poema não faz mais sentido.)

1 comentários:

Eron Nascimento disse...

Te salvarei e seremos só nossos.

Postar um comentário