segunda-feira, 2 de maio de 2011

O mudo nunca foi (per)feito.

Certo. São sete da manhã. E isso é bom.
O sono me deixou. O frio entra pela janela. E isso é bom.
O mudo nunca foi (per)feito. E isso é bom.
E tudo foi desfeito. E isso é bom,

1 comentários:

Luccas Neves Stangler. disse...

A insônia que tanto nos assombra, também é aquela que nos inspira, transpira, faz as idéias tomarem corpo e jeito, delineando-se quase que só.

Breve, mas bem escrito!

Postar um comentário