domingo, 21 de março de 2010

Ana Terra,





Fios negros de seu cabelo bem penteado. São só pedaços daquilo que já a tocou. Tantos outros ainda segura. Procurando e achando segurança em todas as linhas já descobertas. Usando-as em suas danças para compor outra história. Absorvendo toda Terra que pode alcançar com toda mistura que pode conter. Combinando alegria e culturas, do Brasil e de climas temperados.
De pensamentos, de reflexões que se entrecruzam entre todas as Ana's , em toda Ana.
O tempo da Terra não a preenche, nem a revela. São 16 anos de um romance gigante, mas nem perto do tempo de todos bastidores, de todas as reservas. Toda presença em pensamentos de amigos, da família, toda conversa simultânea, toda troca, nem tudo isso consegue criar uma boa sinopse, mas se cria. Cada conhecido tem uma, escreveu em pensamento pelo menos uma resenha atrativa sobre uma parte de você, eu tenho mais, e a agradeço por poder conhecer mais, mesmo atrás de uma tela em quase toos os parágrafos das resenhas que fiz.
Fico aqui tentando simplificar o complexo de formação de mais de uma década, é mais que um governo, mais do que um país. É uma amiga pra mim, uma menininha e uma mulher, uma senhora culta de idade adolescente, e uma adolescente buscando seus ideais e se jogando em suas temporárias loucuras e de tudo mais que diverte e faz pensar. Cantando e celebrando o real que se sente e é múltiplo. Maior que um salto que se pode usar, maior do que a ilha que vivemos.

Amo você muito mais do que o Google Earth!
Amiga, não tem como, você é um pouco dessa escrita, aliás, essa escrita é um pouco de você. Escrita, vida, musica, arte, ciência. e mais!


Cartinha de aniversário que Michelle, uma das minhas melhores amigas, me entregou ontem, dia 20 de março.
Achei linda, e vou guardar comigo até o fim desta vida.
Eu te amo, My Michelle :*

1 comentários:

Michelle Martins de Oliveira disse...

J-j-j-j-j-just dance!!
Aaeaeaeaeaeea! Amo!!!

Postar um comentário